quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

A Seita do Futebol no Brasil



Não estou aqui para falar mal de nada, quanto mais algo tão poderoso quanto o futebol é no Brasil. Eu fui uma pessoa que nunca gostei de futebol e, como não poderia ser diferente, sempre fui visto como um alienígena e ouvia frases do tipo, "mas e na copa o que você faz?". Mesmo sendo um louco alienígena mantive firme o meu desgosto pelo futebol e aprendi a respeitá-lo, mesmo que ele não me respeite.

O fascínio e a importância que as pessoas dão ao futebol é algo incrível. Escolas fecham, empresas param de funcionar e pessoas se organizam para viajar para a copa. Certa vez ouvi um pai de família dizer que não iria tirar férias com a família, pois naquele ano tinha copa.


O amor e a torcida é algo emocionante e bonito, longe de mim criticar a importância disso. Porém, quando as proporções tornam-se doentias é onde mora o perigo. O futebol hoje nada mais é do que uma reprodução menos violenta (nem sempre) dos antigos gladiadores romanos. Os estádios são coliseus onde o povo está sedento por sangue, ups...por vitória.




Como é algo que não me atrai, sinto algumas vezes que apenas eu, como estou de fora, consigo enxergar as "loucuras" que as pessoas fazem movidas pelo futebol. Os torcedores, especialmente naquele momento do jogo, perdem completamente a racionalidade, ou seja, são capazes de tudo, além de estarem com os nervos a flor da pele. Esta é uma combinação explosiva que pode gerar danos sérios. A irracionalidade é tão grande que o torcedor apenas consegue desejar a vitória e nada mais, esquecendo que tudo aquilo na verdade é um jogo, ou seja, alguém tem que perder. É quase com se o controlador de uma roleta no cassino ganhasse um xingamento a cada vez que a bolinha não caísse no local premiado.

A alegria do futebol só existe diante da vitória e mesmo racionalmente sabendo que não se pode ganhar todas, o torcedor sempre acha que é obrigação de todo time ganhar SEMPRE. Se um time ganhar 100 jogos e perder apenas 1, automaticamente ele é considerado incompetente, inútil e principalmente não vale os milhões que ganha.

A rivalidade entre times é dida como algo que dá graça ao show, eu concordo, pois de nada adianta ganhar do nada hehehe. Porém a rivalidade pode ser facilmente levada a um extremo e cada torcedor, mesmo perdendo, tem sempre uma teoria tentando explicar o porque da derrota.

O amor ao futebol, ao time, à instituição é algo bem estranho. O torcedor não enxerga muitas vezes que aquilo tudo é uma empresa, ou seja, uma instituição que visa lucro. É como demonstrar amor a Petrobras, a Vale ou a Votorantim. Será que quando o faturamento destas empresas aumenta ou elas fecham uma venda os seus torcedores torcem da mesma maneira.






O futebol altera o humor das pessoas e algumas pesquisas mostram que até o desemprenho sexual muda (olha que loucura). A vitória no futebol é válida mesmo que roubada, a perda da racionalidade cala o torcedor diante de um erro de juíz, claro desde que o seu time é o que esteja prejudicado.






Com estas observações de anos sendo uma alienígena não torcedor, eu não pude deixar de comparar o futebol a uma seita, o ato de torcer não é muito diferente do que a relação com os fiéis com as chamadas "igrejas carismáticas". Querem ver como a relação é a mesma:

- ambos pagam dízimos, ou seja, grande parte do salário vai para a instituição. No futebol existem dizimistas...ups...sócios
- ambos se reunem em cultos semanais de celebração;
- ambos nestes cultos perdem um pouco a racionalidade e até fazem movimentos semelhantes com mãos em louvor;
- ambos alteram o humor;
- ambos criam raiva contra outros, sejam "tipos" sociais ou times diferentes;



Enfim, o ato de torcer, assim como as igrejas carismáticas, pode ser algo muito saudável e bonito. O mundo atual é cheio de stress e todos buscamos formas de satisfação e prazer. Estas são sempre válidas desde que em doses controladas e racionais, então senhores torcedores, quem sou eu para dizer parem. O máximo que gostaria era que seguissem algumas dicas....

1 - amem as pessoas ao seu redor com 50% do amor que dedicam aos times, pessoas precisam de amor, instuições não...
2 - procurem não deixar que a vitória ou derrota de um time possa ser um indexador do seu humor...
3 -existe muita vida fora do futebol, tanto uma festa de vitória ou uma tristeza de derrota dura apenas uma noite e depois passa...
4 - não deixem o futebol ser mais importante do que a conversa com as pessoas...
5- não deixem rivalidades entre times ou países sairem dos 45 minutos...
6 - lembrem-se de que futebol é um JOGO e isso quer dizer que para haver um ganhador tem que ter um perdedor...
7 - nacionalismo não é só no futebol não eih...
8- não precisa colocar DEUS no meio da torcida, deixem ele de fora ele tem mais do que se preocupar, mesmo porque se ele intervir não terá graça a vitória...

Enfim, fica a minha mensagem no ANO DE COPA, espero não ter ofendido ninguém...

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Um pouco de poesia...lá lá lá

Sempre quis participar daqueles concursos de poesias de ônibus ou metrôs. Acho que irei e escrevi um poema uma vez.

Poema é algo engraçado, pois é meio bobo algumas vezes e sem sentido outras. O poema é meio que as tirinhas comparadas a uma revista inteira de quadrinhos. Elas são ideias e mensagem passadas de formas sonoras, são emoções sonoras escritas hehehe ( que bonito isso), mas algumas são mesmo ruins e sem graça mesmo hehehe, fora as melosas demais...

Abaixo segue a minha orba prima que brevemente estará enfeitandos os transportes públicos hehehe



O que eu quero?

Eu quero o amor do amigo
Eu quero a amizade do amante

Quero o indiferente quando estou carente
E o carente quando estou indiferente

Quero um pouco de espaço para respirar quando estamos perto
E quero estar bem junto quando estamos longe

Quero ter a minha vida indivdual
e quero dividí-la a cada momento

Quero chorar de alegria
E rir das tristeza

Quero achar a felicidade ali na esquina
E quero que ela esteja lá longe

Quero ter tempo
E quero fazer tantas coisas para não ter mais

Quero viajar muito
E quero estar sempre na minha casa

Quero o impossível
E não a facilidade do possível

Alguém sabe o que eu quero?
Eu não...


Poxa, é bonitinha, tem que admitir HEHEHE

sábado, 20 de fevereiro de 2010

E pode falar de sexo? Por que o sexo é tão tabu?


A ideia desta reflexão é pensar um pouco no porque sexo é algo tão banalizado. Sexo é proibido, tem gente que interpreta inclusive a maça de Adão e Eva como apologia ao sexo, experimentou sexo = ser impuro.
Existem algumas crenças que associam pureza a ausência de sexo. Será mesmo que sexo é algo tão sujo assim? Sendo bem cético e científico, sexo é uma pratica de prazer e satisfação mútua, em palavras mais simples é algo bom para duas ou mais pessoas. Onde está a sujeira? Onde está a vergonha? Onde estão os nossos tabus?
Se fizermos uma reflexão rápida e pensarmos nas "regras" sociais que são impostas com relação a sexo observem as limitações que chegamos:

- sexo é algo que deve ser feito entre quatro paredes;
- sexo não é algo para se falar com crianças;
- sexo só depois do casamento;
- não se faz sexo no primeiro encontro, vai ser chamada de vagabunda;
- sexo é só para a procriação;
- sexo entre iguais é errado;
- sexo oral e anal são coisas baixas e podres;
- sexo na terceira idade é não ter vergonha;
- sexo tem que ser escondido;
- mulher gostar demais de sexo é errado;
- sexo não pode ser feito fora do casamento;
- sexo deve ser feito somente com amor;
- sexo é vergonhoso, coisa de gente pervetida;



Particularmente acho incrível como o SEXO tem poder em nossa cabeça. Ele está em todos nós, em todos os momentos e acabamos sofrendo por causa dele. Escondemos o sexo, renegamos o sexo como algo podre. Mesmo tentando ter uma mente aberta com relação isso, é impressionante como é fácil de se perder. Mesmo que achamos que não há nada de errado com sexo, ainda assim não é algo que nos sentimos a vontade de falar em alguns momentos. Tanto que tem pessoas que dizem, "agora não é o momento para se falar isso, que falta de respeito". Realmente é complicado.

Em filmes ou histórias em geral, o sexo sempre está associado a luxúria, a lugares vermelhos (como apologia ao inferno) e sensualidade sendo espalhada por todos os lugares. Este tipo de associação está carregada de "culpa religiosa", a velha síndrome da maçã, pois ir emum lugar onde tem sexo é algo ruim, é algo que se vai para o inferno. A própria figura da prostituta é um ser banalizado na sociedade, enquanto que tudo que ela faz é simplesmente sexo. O fato dela trabalhar com sexo, oferecer o sexo a torna um ser inferior na sociedade. Não é impressionante o poder que o sexo tem em nós?




Eu aprendi que em todas as relações humanas, o sexo sempre está presente. O desejo não escolhe momento, hora ou local, ele nos "assombra" (olha a maçã aí gente) o tempo todo. Mesmo que algumas pessoas ou religiões tentem disfarçar, mas o desejo está ali. Pode ser que o desejo seja algo que realmente devemos esconder, pois desejar alguém é um ato que dependendo do lugar por ser ruim., veja bem eu disse RUIM e não ERRADO. Acho que temos que viver menos em hipocrisias, claro sempre mantendo um controle. O sexo é algo poderoso e que pode destruir uma pessoa.

Quando um homossexual é xingado de "bicha" "veado", estas agressões estão sempre ligadas ao sexo, pois fazer sexo com pessoas do mesmo sexo é algo que passa o caráter. Ok, os homossexuais fazem sexo com pessoas iguais E....??? Onde está o "pecado" nisso? Onde está o erro???? Onde está a razão para o xingamento? Ou seja, em outras palavras, este é um grande exemplo do quanto o sexo dita as regras dentro da sociedade e como ele entra na nossa cabeça de uma maneira que tira a nossa racionalidade.

Esta é uma pergunta bem complicada, pois o poder do SEXO é muito grande e nos confunde. Será mesmo que ele deveria ser mais aberto? Deveria ser mais explícito? Será que o mundo seria melhor se as pessoas mostrassem mais o sexo? Sinceramente não sei, mas sempre defendo que, como o nosso amigo Wolverine disse sabiamente em X men 3:

Sometimes when you cage de beast, the beast gets angry...
Algumas vezes quando você enjaula a fera, a fera fica irritada...

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

O que é ser escritor?

Esta denominação sempre me soa um pouco presunçosa. Ser escritor soa como um mestre das palavras e carrega muitas vezes uma reponsabilidade grande demais. Pelo menos aqui no Brasil, não existe a faculdade de escritor, então, aqueles que se denominam desta forma são na verdade o que mesmo? Ser escritor é algo tão vago de definar, mas como um bom exemplar da espécie conseguirei HEHEHEH


Um dos primeiros elogios que qualquer pessoa que escreve qualquer redação bonitinha, é "Nossa, como você é criativo!". De fato, o escritor é uma pessoa criativa, este pode inclusive ser um dos principais ingredientes. Mas o grande desafio do escritor está na transposição dessa criatividade ao papel (mais antigo impossível, qual escritor que usa papel hehehe, corrigindo: computador). Esta transposição de uma ideia criativa a um texto tem o que chamamos na engenharia de "perda de carga". Esta perda é elegantemente demonimanda algumas vezes como "estou sem inspiração" ou mesmo "estou com um bloqueio criativo" hehehe. Expressões a parte, essa dificuldade é real e séria, pelo menos comigo, acontece muito.



Esta "perda de carga" pode inclusive acabar com a ideia original e destruir os ânimos dos mais bravos aspirantes à arte da escrita. Sim, escrever é uma arte, talvez uma das mais complexas, pois é passar algum tipo de emoção usando combinações de letrinhas em um fundo branco. O escritor é um transformador de emoção em palavra, seja qual for o tipo de emoção. O bom texto tem que despertar algo no leitor, pois um texto sem leitor é uma ideia jogada ao ar.



O escritor é um escravo do leitor. Muitos afirmam que escrevem para si e buscam nos outros concordâncias ou discordâncias, eu não vejo a escrita como algo tão independente do leitor assim. A escrita é a arte de encantar o outro com nossas ideias ou nossos pontos de vista. Receber um elogio, gerar interesse e até mesmo histeria é o maior presente que qualquer "mestre das palavras" pode receber. Não há satisfação maior do que proporcionar a pessoas desconhecidas e muitas vezes distantes emoções diversas. Imagine fazer uma pessoa rir, chorar ou mesmo ficar pensativa com simples combinações de letrinhas em um fundo branco. A escrita é algo quase que mágico e é isso que a torna algo tão fascinante e especial.

O escritor é na verdade um grande observador. Ele é alguém que enxerga mais do que a maioria, ele questiona e até ridiculariza o mundo mais do que as "pessoas normais". Ser escritor é observar tudo ao seu redor enxergando belezas nos momentos mais simples e talvez monstruosidades nos momentos mais alegre. O escritor é o quebrador da lógica, é aquele que pode tudo, inclusive escrever errado. Sim ele pode, o escritor não é um estudioso da gramática, mas sim um utilizador do sentido e da beleza das palavras.



Eu não sei se sou escritor, mas sou observador, consigo perceber emoções mesmo nos locais mais inusitados...
Eu não sei se sou escritor, mas busco constantemente provocar todos os tipos de sentimentos para os que escrevo...
Eu não sei se sou escritor, mas sou escravo da emoção do outro...
Eu não sei se sou escritor, mas sou um torturador da lógica em pró de uma boa risada ou mesmo reflexão...
Eu não sei se sou escritor, mas sou sim um criador de histórias e um combinador dessas letrinhas em um fundo branco...
EU NÃO SEI SE SOU ESCRITOR, APENAS SEI QUE SINTO E ENXERGO O QUE ESTÁ O MEU REDOR...