sábado, 28 de novembro de 2009

Por que será que a Saga Crepúsculo faz tanto sucesso?


Depois de um fim de semana cheio de filas gigantescas e gritos histéricos nas salas de cinema, eu assisti o segundo filme da febre mundial Crepúsculo (Twilight). Mesmo depois de um fim de semana com filas quilométricas, ainda enfrentei uma muito grande e me senti com 200 anos, pois o público deveria ter grande parte a metade da minha idade. O mais louco é que eu fui em um cinema perto de onde trabalho que nem é grande coisa, imagina como deveriam estar os melhores cinemas da cidade.

Eu sempre respeitei as febres adolescentes e acredito que algo que faça sucesso não pode ser totalmente ruim. Assisti ao primeiro filme ainda este ano, em janeiro, e lembro que saí bastante decepcionado. Nada contra o teor de romance, mas achei o filme parado demais, a ação nesta saga é completamente secundária. A proposta da autora ou talvez da diretora, uma vez que não li os livros, é um foco completo no romance. Os perigos e "aventuras" são sempre secundários, tudo gira em torno de pensamentos com suspiros e beijos. Eu sou bastante fã de romances, mas mesmo se eu olhar o primeiro filme como um romance ainda assim sairia decepcionado.





Para a minha surpresa, o filme foi um sucesso em todo o mundo. Como ocorre com filmes de grande público adolescentes que sempre são esquecidos no OSCAR, o Crepúsculo saiu cheio de prêmios no MTV Movie Awards 2009, que é uma premiação com mais prestígio entre os jovens do que o próprio OSCAR.

A espera pelo segundo filme tornou-se entre os adolescentes uma busca louca pelos livros e tenho visto MUITAS pessoas, grande maioria meninas, grudadas nos livros da séries. Estas leitoras não são apenas adolescentes não, são mulheres da faixa de 25-30 que possivelmente leram todos os livros de Harry Potter. Os quatro livros da Saga Crepúsculo não saíram do topo dos mais vendidos no Brasil neste ano e creio que vão continuam por mais um tempo, ocupando o lugar que era de livros como Harry Potter.

Quando vi o trailer do segundo filme, Lua Nova (New Moon), fiquei surpreso porque finalmente a trama iria rumar para mais cenas de ação. No entanto, é claro que não se pode mexer em time que está ganhando e o filme coloca a ação em segundo plano e a depressão doentia de Bella (Kristen Stewart) é o fato maior no filme, deixando de lado todo o resto e tornando sempre os conflitos secundários e simples. Tudo se resolve fácil na série, menos os problemas amorosos.





Críticas à parte, os livros e os filmes são incontestavelmente um sucesso. Enquanto alguns críticos ficam apenas falando mal, os livros somem das livrarias rapidamente consagrando a autora Stephenie Meyer. Qual será o grande objetivo de um livro hoje? Livros têm que ser vendidos e se analisar desta forma a série é um sucesso.Meu grande sonho é ter as mesmas histerias que esta série para os meus livros. O que um autor novato pode querer mais do que adolescentes histéricos gritando ou livros vendidos aos baldes? Hipocrisias de lado, é talvez onde todos os que escrevem deveriam chegar. Todas as manifestações com respeito a essa série são por causa da boa receptividade da história que tocou os fãs de alguma forma.

Admiro bastante o sucesso que uma série assim chega e sempre tento entender o que levou a toda esta febre. Entre algumas explicações que li ou ouvi estão:

  • Escutei algumas declarações de fãs que o sucesso está em uma menina comum e sem graça sendo disputada por homens poderosos (vampiro e lobisomen). Cá entre nós, a Bella é MUITO sem graça. Eu acho ela uma das personagens mais sem sal de todos os tempos, seguindo esta linha, a explicação pode fazer sentido sim.
  • Eu acredito muito que o sucesso também está ligado ao físico dos atores. O segundo filme, Lua Nova, é bastante apelativo em cenas sem camisa, porém, creio que isso é mais um adicional. Mas será que o filme teria o mesmo sucesso se os protagonistas masculinos fossem meninos feios? Claro que não, pelo que percebi na sessão que vi, o filme poderia ser quase um "pornô feminino" pelo efeito que causa nas meninas.
  • Outra possível fonte de sucesso é o fascínio por vampiros, que tende a agradar especialmente adolescentes com estilo gótico. Havia muitos assim na fila do cinema. Será que estas meninas sonham com um namorado vampiro?
  • Acima de tudo acho o sucesso está no fato de mostrar as dificuldades do relacionamento, que é o coração central da trama. Como há muitas menções em Lua Nova, as histórias Romeu e Julieta sempre mexeram com o imaginário feminino.

Vamos ver o que o resto da trama espera, eu como autor lerei com certeza os livros porque acho que algo de bom eles devem ter. O terceiro filme já estreia no ano que vem, os produtores não perdem tempo, afinal...tempo é $$$ não é?

domingo, 22 de novembro de 2009

Lançamento Marcas na Parede



Neste último sábado (21/11), ocorreu na Biblioteca Viriato Correa em São Paulo o lançamento da antologia MARCAS NA PAREDE da Editora Andross . Esta antologia reune contos com temática de terror e suspense de diversos autores de todo o Brasil. O meu conto chama-se PERDIDO NA ESCURIDÃO e foi feito especialmente para o MARCAS NA PAREDE. Trata-se da minha primeira publicação e é um conto que tenho muito carinho e gosto bastante do resultado final. Como costumo brincar: se eu não tivesse escrito adoraria ter lido e ficaria com muita inveja de quem tivesse criado ele (risos).


Fiquei muito contente com o lançamento e todo o carinho e recepção dos outros autores e também dos presentes. O evento estava lotado e pude cansar o pulso de tantos autógrafos. Os demais autores são, além de talentosos, bastante receptivos e atenciosos.


Foi uma experiência bem bacana que me deixou, além de muito orgulhoso com bastante ânimo para continuar a trilhar neste caminho da escrita.

Parabéns a ANDROSS e a todos os demas autores...


Grande Abraço


domingo, 15 de novembro de 2009

Quem são as pessoas que compram às 15 hrs no centro?


Assim como grande parte da população eu trabalho no chamado horário comercial, ou seja, todas as manhãs e tardes eu estou "preso" no trabalho para ganhar dinheiro e gastar ou no fim de semana ou nas cinco noites da semana, desde que não tenha que trabalhar até mais tarde.

É como eu sempre digo, a vida é para todos nós cinco noites e um final de semana, certo?
Errado, algumas vezes por motivos extraodinários acabamos indo ao centro, possivelmente para ir a bancos, cartórios ou médicos e o que encontramos?
As ruas cheias, pessoas comprando desesperadamente, ainda mais nesta época do Natal. São homens, mulheres, adolescentes, crianças e muitas vezes famílias inteiras. Nada contra comprar, isso gira a economia e blá blá blá, mas fica a pergunta de US$ 1.000.000:


QUEM SÃO ESTAS PESSOAS QUE PODEM IR NO CENTRO COMPRAR AS 15 HRS DE UMA QUARTA FEIRA?


1) Seriam desempregados? - mas e as famílias inteiras, poxa se estão desempregados poupem o seu dinheiro...


2) Seriam donas de casa que os maridos estão trabalhando? - poderia ser, mas e os homens? São donos de casa desempregados que as mulheres estão trabalhando? São parte da nova sociedade moderna? Porém, não existe cidade do Brasil que no centro às 15 hrs tenha só mulheres...


3) Seriam trabalhadores noturnos? - pode ser, é uma boa explicação também, mas se eles trabalham a noite toda, não ficam super cansados ao longo do dia?


4) Seriam trabalhadores autônomos? - tudo bem, mas o trabalhador autônomo pode ter "autonomia" de horário mas tem que trabalhar também, não é?


5) Seriam os "torradores" de seguro desemprego? - possivelmente isso explacaria as famílias inteiras, não culpo estas pessoas, pois nada melhor que não precisar trabalhar e ainda "magicamente" ter dinheiro para gastar. O que mais se pode querer? Porém, uma hora o seguro vai acabar e daí como fica a compra em 24 vezes? Estes "torradores" compram só à vista? (HAHAHAHA)


Enfim, eu ainda fico confuso em saber quem são estas pessoas que lotam centros e até shopings em todas as cidades de todo o Brasil.
Resumindo então, atenção senhores publicitários, o perfil dos frequentadores dos grandes centros de consumo em todo o país são:


- Donas de casa que não ficam em casa, compram...

- Vigias noturnos que dormem no expediente já que não dorme durante o dia, compram...

- Desempregados com seguro desemprego que não estão procurando emprego, apenas compram...

- Trabalhadores autômos que conseguem trabalhar pouco e ganhar muito para gastar e comprar...


Alguém tem alguma destas respostas????

Abraços




sábado, 7 de novembro de 2009

O Manual do Passageiro de Taxi


Eu uso bastante taxi e já me deparei com os mais diversos tipos de motoristas. Não tenho nada contra a classe dos taxistas, mas como toda profissão existe um padrão de comportamento que se pode criar um manual do passageiro. Vamos ao manual:

Lição 1
Existem dois assuntos básicos que SEMPRE os taxistas irão conversar, são eles: tempo e futebol. A vitória ou derrota de um time, assim como as mudanças loucas do clima proporcionam sempre um longo assunto de até uma hora muitas vezes. O bom do assunto tempo é que não importa se está frio ou quente, sempre se tem assunto. O tempo normalmente é o começo da conversa então haverá falas do tipo:
- E esse calor, eih?
- E não para de chover né?
- Tá muito frio.
- Diz que vai chover o resto da semana.

O taxista normalmente sempre escuta ou lê a previsão do tempo e as páginas de esporte...

Lição 2
Taxista por natureza é um ser estressado com a vida e enxerga problemas em tudo. O tempo sempre está ruim, o trânsito sempre está uma loucura, a violência está sempre aumentando (possivelmente ele vai contar algum caso de morte que ouviu na cidade) e, claro, vai salientar que no tempo dele não havia nada disso. Naquela época era bem diferente.

Lição 3
Completando a lição 2, o taxista, os mais velhos é claro, são extremante saudosistas. No tempo sempre tudo era SEMPRE melhor é quase como se houvesse um paraíso na terra, sem trânsito, sem violência.

Lição 4
O taxista normalmente é um incostestável especialista em trânsito. Ele também sabe de todos os problemas e normalmente tem soluções infalíveis para tornar o mundo um lugar ideal ao menos no trânsito. Estas respostas normalmente culpam os outros como maus motoristas.

Lição 5
Mesmo que muitas vezes os assuntos limitem-se a tempo, futebol, violência e comparações com outros tempos onde tudo era melhor, o taxista normalmente é uma pessoa que adora conversar. Há uma carência grande, possivelmente por passar grande parte do tempo dirigindo. Elese se abrem muito fácil contando detalhes até exagerados demais algumas vezes. Estes detalhes envolvem até mesmo problemas amorosos.
Lição 6
Quando não se quer conversar, muitas vezes a técnica de colocar um fone de ouvido e escutar música não funciona, o desejo do taxista pela conversa algumas vezes ignora isso e saem pelo menos alguns dos assuntos, especialmente futebol.
Algumas pérolas encontradas em minhas viagens de taxi:
Sessão Reprise
O mesmo taxista me contou três vezes a mesma história trágica de assalto. - o detalhe maior é que todas as vezes com a mesma indignação e exautação na voz.
Detalhes Demais
Um dos taxistas me confessou que acabou engravidando uma passageira. - poxa, será que eu realmente precisava saber disso?
Taxista Super Homem
Um taxista me confessou que trabalhava umas 20 horas por dia porque só tinha duas mulheres e queria ter mais. - ele tem que ser um super homem, já que tem 4 horas para dormir e atender as duas esposas.
Taxista Analista
Um taxista que lê bastante sobre psicologia fez uma análise psicológica e tentou até chegar nos meus porquês - o mais irônico desta história é que ele estava justamente me levando para o psicólogo.
Café da Manhã
Logo que eu entro no taxi eu sempre cumprimento. Teve um taxista que não retribuiu meu Bom Dia e estava comendo. Uns 2 minutos depois, quando terminou de comer ele deu o Bom Dia. - tá certo que tem aquela teoria de que apenas a mulher consegue fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo, mas será que nós homens somos tão limitados assim?
A Teoria do Atropelamento Legal
Esta teoria nasceu de uma mente estressada de um taxista. Esta teoria garante a ele o direito de atropelar pessoas no centro, onde é mais caótico. Esta teoria se baseia no fato de que uma pessoa que tenta atravessar uma estrada em um lugar indevido quer na verdade morrer, porque se não quisesse estariam na faixa. Desta forma quem atravessar a rua fora da faixa pode ser legalmente atropelada.
Brincadeiras a parte, eu respeito bastante a classe dos taxistas que são tão úteis para mim.
Até a próxima!

Grandes Frases

Eu sou muito fã de frases bonitas, especialmente as que causam algum tipo de emoção.
Segue algumas que me lembro que gosto muito:

Como admirador de frases eu criei várias também que se tudo correr bem serão um dia famosas hehehe. Vou colocar aqui uma das que resultou no meu possível segundo conto publicado chamado Cavaleiros da Luz, a frase é a seguinte:

“... A luz e a escuridão nunca estão no mesmo local, mas em um piscar de olhos podemos mudar de uma para outra...”

Esta frase fala um pouco da linha fina que divide o bem e o mal, algumas vezes cometemos grandes erros achando que estamos no lado bom. Porém é importante lembrar que definição de vilões e mocinhos existe apenas em filmes. O nosso problema é que quase nunca nos vemos como vilões...

"...Se Deus quisesse que fôssemos todos iguais por que ele nos fez tão diferentes?..."

Frase do final do filme Galera do Mal" (Saved!), que apesar de ter um título terrível em português, é um ótimo filme e essa frase mexe um pouco com fé e religião, onde a protagonista aprende que o amor de Deus está em todas as pessoas independente de cor ou sexualidade. Este filme é um dos únicos que trata a religião desta forma sem recriminções. Ele parece um filme bobinho e adolescente, ainda mais com este título, mas ele é um filme bonito com muito conteúdo.

"...Você é um homem atormentado pelas piores duas palavras que um homem pode ser: E SE?..."

Frase do filme A Máquina do Tempo ( The Time Machine) baseado no livro do Orson Wells, onde o personagem volta no tempo para tentar impedir o assassinato da mulher. Esta frase é bem profunda e muito presente na nossa vida. Desde de que ouvi no filme, lembro de ter me marcado porque nós muitoas vezes acabamos infectados por estas duas palavras.

"O segredo do sucesso eu não sei, mas o segredo do fracasso é tentar agradar a todo mundo"

Esta frase do humorista Bill Cosby é bem interessante e muito útil em nosso cotidiano.

A lição de Jurassic Park III

Eu não tenho nada contra filmes de aventuras e sempre gostei da série Jurassic Park, neste terceiro filme tem uma situação muito interessante e poética de certa forma. A situação é a seguinte:
Um dos personagens, depois de descobrir que não serão pagos pela ida até a ilha, decide pegar alguns ovos de velociraptores para custear as escavações. Por esta razão eles são perseguidos pelos raptores. Quando os outros descobrem sobre os ovos, eles ficam revoltados e concluem que as criaturas estavam atrás deles pelos ovos. O Dr. Grant, personagem do Sam Neil, vai em um abismo se livrar dos ovos, mas hesita e um dos personagens diz:
- Elas coisas estão atrás de nós por causa destes ovos, não vai destruir? E se eles nos pegarem com os ovos?
- E se eles nos pegarem sem os ovos? Eles já sabem que temos os ovos, vão continuar atrás de nós do mesmo jeito.

Pode parecer bobinha esta lição, mas ela é interessante pois nos faz pensar em como é difícil fazer escolhas e que algumas vezes nos perdemos nelas. O correto a fazer era se livrar dos ovos, mas como os raptors iriam continuar perseguindo, será que o correto vale a pena? Nem sempre na vida temos o domínio do que é certo ou errado, eles muitas vezes mudam e um certo pode virar errado em um piscar de olhos.


Eu gosto de frases e dizeres engraçados também, porque nem só de coisas sérias é feita a vida hehehe então segue algumas engraçadas.

Uma Família da Pesada (Family Guy):
- Papai, eu quero um porche.
- Hehehe, minha filha eu não amo você tanto assim...

Os Simpson (The Simpson):
-Marge, eu adoro manobrista porque é o único momento que me chamam de Senhor sem dizer depois "está fazendo um papelão"